Login: E-mail Senha Lembrar senha

Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor - Tel: +55 11 5904-2881 / 5904-3959 - Whatsapp: 11 99408-0079

Dor no pescoço: Quando você deve se preocupar

A maioria das dores do pescoço não significa algo sério. No entanto, vale a pena procurar seu médico se você apresentar dormência, fraqueza, ou sensação de agulhadas persistentes no seu braço.

Dor no pescoço: Quando você deve se preocupar?


Dor cervical de início súbito (agudo) é um tipo comum de dor. Na maioria dos casos, a dor não é devido a uma doença séria ou lesão de pescoço, e muitas vezes a causa exata para a dor não é clara. Isso é conhecido como cervicalgia inespecífica.

Estudos mostram que duas entre três pessoas irão apresentar sintomas de dores cervicais em algum momento de nossas vidas.


A maioria das dores cervicais ocorre provavelmente devido a entorses menores, má postura, ou uso inadequado de tablets e smartphones. A recuperação completa, sem novos sintomas, ocorre na maioria dos casos (mais de 90%).

As recomendações médicas habituais sugerem manter-se ativo, evitando repouso excessivo que pode até piorar as dores. Os analgésicos e relaxantes musculares são remédios úteis no alívio sintomático das dores na fase inicial.

Dor persistente por mais de 3 meses (dor crônica) pode se desenvolver raramente em alguns casos, necessitando de uma avaliação de um médico especialista para tratamento e diagnóstico adequado. O tratamento da dor crônica é diferente do tratamento da dor aguda, necessitando de intervenções multidisciplinares.


Como a cervicalgia ocorre?


A coluna cervical pescoço permite que a gente torça a cabeça em todas as direções enquanto continua a suportar o peso dos nossos crânios e protege os nervos vitais que conectam nosso cérebro com o resto do corpo.

Os 7 ossos vertebrais da coluna cervical são conectados por discos esponjosos de absorção de choque por uma rede de músculos duros conectivos suportando eles. A medula espinal passa através de um canal protegido em todos os lados por ossos.

Danos ou deformação em qualquer um destes pode causar dor.


Quais são os sintomas da cervicalgia?


Dores, obviamente!

Geralmente, a dor começa no pescoço e se espalha por um ou ambos os ombros (às vezes descendo para o braço) ou subindo para a parte de trás de sua cabeça.  Seu pescoço e ombros podem ficar endurecidos.

Sensações de alfinetadas e agulhadas são comuns. Geralmente, não são um sinal preocupante, mas estes sintomas devem ser avaliados, pois podem  sugerir que um nervo que emerge de sua coluna pode estar preso ou irritado (pinçamento nervoso).

A dor geralmente melhora depois de alguns dias e desaparece dentro de semanas.


Cervicalgia aguda

A maioria dos episódios de dor aguda no pescoço são devido a uma distensão muscular ou outro tipo de entorse de tecidos moles (ligamentos, tendões).

Este tipo de lesão pode ser causado por uma força repentina (como whiplash ou efeito chicote) resultantes de um acidente de carro, ou por estiramento muscular cervical (tais como um torcicolo após dormir em posição errada, ou uma lesão após carregar objetos pesados como malas).

A maioria das pequenas lesões de ligamentos, tendões e músculos do pescoço geralmente cicatrizam com o tempo (em poucos dias ou semanas) porque estes tecidos moles têm um suprimento bom de sangue para trazer os nutrientes e proteínas necessários para a cura e recuperação.

Tratamentos como gelo e/ou calor, medicamentos, terapia física, e/ou acupuntura podem ajudar a aliviar as dores durante a recuperação.

Anti-inflamatórios não esteroidais podem ser úteis por períodos breves de até 7 dias para diminuir a inflamação neurogênica local. No entanto, deve-se evitar o uso prolongado pelo risco de lesões gástricas, renais ou hepáticas.


Alguns tipos comuns de dores cervicais

Tipos e causas de dores cervicais incluem:

Dor cervical inespecífica

Este é o tipo mais comum, sendo também conhecida como cervicalgia simples ou mecânica.

Muitas vezes a origem da dor ou causa exata não é conhecida, podendo incluir pequenas tensões e distensões de músculos ou ligamentos no pescoço. A má postura também pode ser um fator contribuinte em alguns casos. Por exemplo, dor cervical é mais comum em pessoas que passam muito do seu dia de trabalho em uma mesa, com uma postura inadequada de flexão cervical.

 Whiplash (efeito chicote)

Isto é mais comumente devido a um acidente envolvendo um veículo, tais como um acidente de carro.

Pode causar dor crônica no pescoço dependendo do grau da lesão e impacto.

Torcicolo

É também conhecido como pescoço travado ou pescoço torto. Pode surgir subitamente, após uma noite mal dormuda, pequenos traumatismos agudos, ou espasmos musculares.

Um torcicolo é uma condição na qual a cabeça fica torta para um lado, e é muito doloroso mover a cabeça lateralmente. Muitas vezes não se sabe a causa do torcicolo primária aguda.

No entanto, pode ser devido a uma menor tensão, ou aumento da contratura ou espasmo de um músculo ou ligamento na região cervical (como os músculos trapézio, esternocleidomastóide e os esplênios da cabeça e pescoço).

Alguns casos podem ser devido a determinados músculos do pescoço serem expostos ao frio por períodos excessivos, gerando um microespasmo muscular local.

É comum as pessoas irem para a cama se sentindo bem e acordarem na manhã seguinte com uma crise de torcicolo aguda.

A dor geralmente melhora, sem qualquer tratamento, após alguns dias. É importante procurar o médico em casos de limitações de movimento importantes, ou em casos que a dor persista por semanas.

Desgaste (doença degenerativa)

Desgaste dos discos entre as vértebras e os ossos da coluna vertebral é uma causa comum para dores cervicais persistentes ou recorrentes nas pessoas idosas. Isso é também conhecido como espondilose cervical.

No entanto, estudos de ressonância magnética mostram que a maioria das pessoas acima de 50 anos têm algum grau de degeneração (espondilose) sem necessariamente apresentarem dor.

Radiculopatia cervical

Quando a raiz de um nervo cervical é pressionada ou danificada, a condição é conhecida como radiculopatia cervical.

Assim como a cervicalgia, existem sintomas específicos tais como perda de sensação (dormência), dor em padrão de alfinetada ou agulhada, dor em choque e fraqueza em partes de um braço (como dificuldade para levantar o braço, ou perda de agilidade e destreza nas mãos e dedos). Esses outros sintomas podem inclusive serem as queixas principais em vez de dor.

As causas mais comuns de uma radiculopatia são espondilose cervical e um prolapso discal.

Um prolapso discal é às vezes chamado de uma hérnia de disco, mas o disco não escorrega na verdade. O que acontece é que parte da área mais macia interna do disco protrai para fora (prolapsos) através da parte mais externa do disco, pressionando o nervo que passa fora da vértebra, resultando nos sintomas de parestesias e dor.

A maioria dos casos necessita de tratamento clínico, com recuperação completa em até poucas semanas. O tratamento conservador inclui medicamentos sintomáticos, fisioterapia e exercícios, além de acupuntura.


Preciso de exames para minha cervicalgia?



Enquanto você não apresentar nenhuma dos sintomas considerados como “bandeiras vermelhas” citados abaixo, você provavelmente não precisará de exames de imagem.

Raios X e tomografias ou ressonâncias não são recomendados, exceto em circunstâncias especiais, pois nem sempre a conduta médica será alterada conforme os resultados do exame. A maioria das pessoas a partir dos 40 anos irá apresentar sinais de desgaste, e serão assintomáticos.

Para casos de dores crônicas, com irradiação da dor para braços, ou em casos de sensação de formigamento, choques e fraquezas em braços ou mãos, uma ressonância magnética pode ser importante para afastar hérnias discais ou lesões tumorais compressivas.

Nestes casos, é importante a avaliação de um médico especializado em dor.


Bandeiras vermelhas (“Red Flags”) – Quando eu deveria me preocupar



A maioria das dores no pescoço não significa problemas sérios com os quais você tenha que se preocupar.

No entanto, você deveria sempre investigar a sua condição e sintomas se:
  • Eles estão conectados com dormência, fraqueza ou agulhadas e alfinetadas persistentes em seu braço
  • Você geralmente se sente mal, especialmente com perda de peso ou febre
  • A dor vai piorando ao invés de melhorar
  • Os ossos do pescoço (em vez de músculos de cada lado) estão muito sensíveis
  • Você tem outros problemas médicos, como um histórico de um acidente recente, câncer ou artrite reumatoide.

Tratando a dor no pescoço



Quando você sentir a dor no pescoço pela primeira vez, pode ser muito doloroso se mover e você irá precisar descansar por alguns dias. Depois disso, enquanto você não tiver os “sinais vermelhos” acima, é importante manter o pescoço em movimento para parar o enrijecimento.

Mexa seu pescoço gentilmente em todas as direções de poucas em poucas horas, tentando aumentar a variação de movimentos gradualmente. Evite ficar sentado por muito tempo, mas mantenha suas atividades normais, tanto quanto possível.

Analgésicos como o paracetamol ou anti-inflamatórios analgésicos como o ibuprofeno (que também são disponíveis em formulação tópica) vai ajudar, e seu médico pode recomendar relaxantes musculares, se há um monte de espasmos musculares.

Uma bolsa quente (água quente ou elétrica) sobre os músculos da região também pode ajudar no relaxamento da musculatura cervical, facilitando alongamentos e diminuindo a inflamação local. O movimento fica facilitado, e o calor ajuda na analgesia local.


Pescoço torto –  Não é motivo para um sorriso torto



O termo médico para isso é ‘torcicolo’, quando o pescoço fica preso com sua cabeça torcida para um lado.

Isso pode ser devido a tensão dos músculos ou ligamentos do pescoço, fazendo com que os músculos entram em espasmo. Dormir em uma posição desconfortável pode levar ao torcicolo.

É frequentemente muito doloroso nos músculos de um lado do pescoço, mas geralmente se resolve no prazo de alguns dias.

No meio tempo, analgésicos e relaxantes musculares vão ajudar com a dor e limitação do movimento. O uso de anti-inflamatórios não-esteroidais por curtos períodos pode também ser importante para diminuir a inflamação local.


Evitando a dor no pescoço: o que fazer e o que não fazer


Você não pode sempre evitar a dor no pescoço, mas simples precauções no dia-a-dia podem reduzir o risco do sofrimento.

Faça:
  • Vire a cadeira diretamente para o computador e ajuste a sua cadeira para que a tela esteja ao nível dos olhos
  • Alongue-se regularmente se você está trabalhando em uma mesa ou dirigir longas distâncias
  • Mantenha sua cabeça para trás sobre sua coluna, em vez de debruçado para a frente
  • Considere Pilates, yoga ou a técnica Alexander (muitos conselhos têm listas de classes locais para todas as idades e habilidades!).

Não faça:

  • Durma de barriga para baixo. Se possível, durma de costas
  • Use um travesseiro muito firme ou alto – Ele deverá apoiar a curva natural do seu pescoço ombros para cima. Comprima seu telefone sob o queixo levantando seus ombros para cima.


Fontes e referências


Dr. Hong Jin Pai - Acupunturista e membro da SBED
http://www.hong.com.br/

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home